quinta-feira, 19 de junho de 2014

Jean Wyllys: “Há um tanto de machismo odioso nos insultos contra Dilma”

Deputado federal pelo PSOL do Rio, partido que faz oposição à presidente Dilma Rousseff (PT) no Congresso Nacional, Jean Wyllys comentou neste sábado (14) a enxurrada de palavrões contra a presidente na abertura da Copa, em São Paulo, na última quinta-feira.

Em texto publicado no Facebook que causou enorme repercussão, Jean Wyllys diz que “há um tanto de misoginia [preconceito contra mulher] e machismo odiosos nos insultos proferidos pela platéia branca e rica contra Dilma”.

“Sendo eu, todos os dias, vítima de insultos semelhantes motivados por homofobia, posso inferir a dor que a presidenta sentiu ao ouvir o insulto em coro. Sim, a dignidade de Dilma (e sua dignidade existe, apesar de suas atitudes políticas equivocadas e erros de gestão!) é a melhor resposta à indignidade daquela gente que a insultou. Sim, presidenta Dilma, você tem a minha solidariedade”, comentou o deputado.

Para Jean Willys, os xingamentos contra a presidente revelam que o Brasil ainda tem uma elite “mal-educada, grosseira e sem-modo”, que não sabe fazer oposição política:

“Senti vergonha por conta da vaia e do insulto à presidenta Dilma no jogo de abertura da Copa do Mundo. Sim, a vergonha foi maior porque a gente que puxou a vaia se considera “fina, culta e educada” e vive chamando de “mal-educados, grosseiros e sem-modos” aqueles que não têm a sua cor, a sua renda nem seus privilégios (inclusive o de poder adquirir o caríssimo ingresso para estar naquela arquibancada). Sim, mal-educada, grosseira e sem-modo é mesmo aquela gente, que, pouco acostumada com a civilidade, não tem senso de oportunidade nem sabe fazer oposição política sem resvalar para a baixaria”, declarou Wyllys.

O pequeno texto de Jean Wyllys gerou mais de 11 mil compartilhamentos no Facebook e mais de 40 mil curtidas na mesma página.

Apesar de militar no PSOL, o comentário do parlamentar carioca foi a mais contundente defesa da presidente feita até agora nas redes sociais, desde quando o episódio ocorreu na quinta-feira.

Em virtude do texto, o deputado federal foi vítima de vários xingamentos preconceituoso nas redes sociais, provando o baixo nível do debate político de alguns nessa pré-campanha eleitoral.
Veja o texto completo:

“Sim, eu senti vergonha por conta da vaia e do insulto à presidenta Dilma no jogo de abertura da Copa do Mundo. Sim, a vergonha foi maior porque a gente que puxou a vaia se considera “fina, culta e educada” e vive chamando de “mal-educados, grosseiros e sem-modos” aqueles que não têm a sua cor, a sua renda nem seus privilégios (inclusive o de poder adquirir o caríssimo ingresso para estar naquela arquibancada).

Sim, mal-educada, grosseira e sem-modo é mesmo aquela gente, que, pouco acostumada com a civilidade, não tem senso de oportunidade nem sabe fazer oposição política sem resvalar para a baixaria. Sim, os manifestantes que questionam, com razão, os custos da Copa e que têm motivos reais para perderem a cabeça em relação às políticas da presidenta (políticas que beneficiaram justamente os que estavam na arquibancada e na área VIP da arena) não caíram na baixaria do insulto pessoal à Dilma, emboras sejam comumente chamados de “vândalos” e “baderneiros” pelos que insultaram a presidenta enquanto tomavam sua cerveja gelada.

Sim, eu faço oposição (à esquerda!) à presidenta Dilma, mas fazer oposição a ela não significa insultá-la de maneira covarde. Sim, eu faço oposição (à esquerda) à presidenta, mas fazer oposição não é cair em ataques pessoais, mas, sim, fazer crítica às políticas por ela implementadas.

Sim, há um tanto de misoginia e machismo odiosos no insulto proferido pela platéia branca e rica contra Dilma. Sim, eu não gostaria que Luciana Genro ou Manuela D’Ávila ou Erika Kokay ou Mara Gabrilli fossem insultadas daquela forma por uma turba de machos corajosos só quando estão em turba. Sim, sendo eu, todos os dias, vítima de insultos semelhantes motivados por homofobia, posso inferir a dor que a presidenta sentiu ao ouvir o insulto em coro.

Sim, a dignidade de Dilma (e sua dignidade existe apesar de suas atitudes políticas equivocadas e erros de gestão!) é a melhor resposta à indignidade daquela gente que a insultou. Sim, presidenta Dilma, você tem a minha solidariedade. Sim, coragem grande é poder dizer “sim”!

Jean Wyllys”

Fonte Terra
Por Rodrigo Rodrigues

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

CINEMATECA GLS

Arquivo de Homens

De Homem para Homem

ASSIM EU ME APAIXONO

ENTRE IGUAIS